Logo.png

Exu Mojubá !

IMG_4042.JPG

           As Entidades que se manifestam nos terreiros de Umbanda como Exus trabalham abaixo deste Orixá, ou seja, da vibração do Orixá Exu.

           Este Orixá está presente em tudo e em todos no planeta Terra, é uma energia fundamental para a vida, para o movimento, para o contato do homem com o divino.

           No livro 'Esu' de Juana Elbein e Deoscoredes Maximiliano, encontramos a seguinte frase que mostra a importância da energia de Exu para que haja vida: “se alguém não possuir seu Exu no corpo, este alguém não poderia existir, ele nem saberia que está vivo , em outras palavras, ele não se reconheceria como ser, com vida própria, ele continuaria  massa de matéria indiferenciada“.

          Exu era o grande defensor dos negros escravos, o socorro imediato em seus momentos de dor e sofrimento.

Ele é o guardião dos caminhos, emissário entre os homens e os Orixás, lutador contra o mal. Exu não faz mal a ninguém. O critério que rege Exu é a justiça, e esta é, às vezes ,severa para algumas pessoas, mas nem por isto deixa de ser justa.

         São os executores do carma, aqueles que fazem de tudo (sempre respeitando nosso livre arbítrio) para que possamos cumprir nosso mapa reencarnatório o mais fiel possível, e assim nosso espirito evoluir mais rápido.

Nos terreiros de Umbanda vemos as Entidades Exus ajudarem a todos sem fazer qualquer tipo de distinção. Só temos que lembrar que como executores da lei, eles não fazem nada se não tivermos direito a receber aquilo e muito menos qualquer tipo de maldade.

         Exu gosta de rir, brincar com as pessoas, ser franco e direto, não faz rodeios nem mente.

         Em seus trabalhos, Exu corta demandas, desfaz trabalhos e feitiços.

Assim é Exu. Às vezes temido, às vezes amado, mas sempre alegre, honesto e combatente da maldade no mundo.

         No sincretismo religioso Exu é sincretizado com Santo Antônio e é comemorado no dia 13 de junho. É considerado o santo mensageiro. Diversas orações tradicionais de Santo Antônio dizem: “Ele nos guia no bom caminho”.

          Nos Templos Umbandistas, Exu também é o Guardião, é a entidade espiritual encarregada da guarda vibratória e da proteção espiritual da Casa, dos Médiuns e de todas as pessoas que ali vão procurar ajuda.

         Nos terreiros de Umbanda a Casa de Exu, que muitos chamam de Tronqueira, serve para a firmeza e segurança do Centro, dos médiuns e do público visitante.

        Sentimos muito quando vemos notícias de verdadeiras barbaridades feitas pelos homens serem atribuídas a Exu; esta ignorância gera uma visão distorcida desta Entidade que desempenha funções tão importantes e porque não dizer fundamentais para a existência e manutenção de nossa casa planetária e para a nossa evolução.

        Infelizmente, muitas casas de “Umbanda” cultuam esta imagem distorcida de Exu para mantê-lo como algo a ser temido, como se fosse a personificação do mal.

       Como entidades que carregam a responsabilidade de serem os executores da lei do Karma, e que dentro dos terreiros desfazem trabalhos e feitiços de magia negra, retirando espíritos obsessores e os encaminhando para os planos afins, que nos auxiliam em tudo o que puderem, sempre respeitando o merecimento de cada um, podem ser  seres  maus?

        É importante que se conheça o trabalho realizado pelos Exus, para que seja retirada esta imagem ruim a Ele associada.

            Saravá Sr Exu, que possamos ser sempre merecedores de sua proteção e orientação!

 

 

Chego na paz de Oxalá!

 

       Há muito não somos tão amados assim, para muitos só temos o desprezo e a cobrança daquilo que não fizemos direito. Nem estudo sobre nós se ouvia falar. Graças às pessoas sérias que elevam a Umbanda para todos aqueles que desejam conhecê-la, a visão sobre nós está sendo mudada.

       É com o nosso senso de “girar” o mundo para que tudo ocorra como Zambi deseja, que nós agradecemos as luzes e preces recebidas de todos aqueles que nos veem com amor.

       Fazemos a justiça, tiramos doenças de acordo com as ordens de Zambi. Somos mensageiros sim, para a dor, para a alegria e para o amor. E é assim que queremos continuar a ser.

       Agradecemos a todos o carinho e o respeito que nos foi dado.

        Desejamos assim que Zambi na sua Luz Maior possa atender a todos no seu limite e os cubra com sua imensa paz e amor.   

 

Que Oxalá os abençoe,

 

                        Exu Tiriri

 

 

Saravá Tupan,

 

Senhor de todo o universo.

 

       Chego para fazer um questionamento a todos, umbandistas ou não.

       Vocês já se perguntaram se são merecedores dos pedidos que levam até os terreiros de Umbanda, principalmente para nós os guardiões das energias, os senhores dos caminhos?

      Todos os dias recebemos pedidos de auxílio nas mais diversas áreas e damos importância a todos eles desde o mais mesquinho ao mais nobre, não julgamos nenhum pois esta tarefa não nos cabe. Procuramos atender a todos dentro dos parâmetros da lei que rege o Carma.

       Mas achamos que o ser humano deveria aprender a refletir antes de nos pedir algo.

      Refletir sobre a importância do que está sendo pedido para si e para os outros, sobre o seu merecimento, sua capacidade de realização com o seu próprio esforço, sobre as formas de pedir.

      É da natureza humana pedir, mas será que a sua natureza é somente humana?

      Nós sempre auxiliaremos vocês, mesmo que não acreditem em nossa existência. Mas queremos ver o despertar da essência de cada um, o crescimento de cada espírito. Para isto, nós é que temos que pedir que permitam a vocês mesmos evoluírem e amadurecerem espiritualmente, pois isto só poderemos assistir e jamais realizar por vocês.

 

            Saravá a todos

            Saravá Umbanda

            Saravá meu Pai.

 

              Exu da Meia Noite